sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Diálogos (in)úteis


- Estávamos sentadas no sofá hoje a tarde e eu jurava que ia me declarar.
- Como assim? Falar tudo que você tava sentindo?
- Não! Ia pegar na mão dela e fazer carinho.
- Mas isso não é uma declaração.
- É sim... Especialmente para quem ficou com a sensação de que qualquer demonstração de afeto é ruim.
Silêncio. Suspiros.
- Mas você gosta dela?
- Gosto.
- Daquele jeito?
- Não...
- Então não é declaração.
- É sim! Gostar de alguém desse jeito já é grande coisa quando você achava que não tinha mais sentimento algum. "Já não sinto amor, nem dor, já não sinto nada..."
Olhos se reviram e ficam a encarar o teto.
- E por que não se declarou?
- Não sei... Preguiça talvez. Relacionamentos afetivos além da amizade dão muito trabalho e podem dar errado. Deixa como está.
"O vento vai dizer, lento o que virá..."

2 comentários:

  1. Relacionamentos afetivos são uma parte daquilo que nos traz vida. Se tem preguiça de tê-los, tem preguiça de viver. Se tem preguiça de viver, a vida passa sem você nem ver. Se você não vê, perde tempo, perde vida e encontra a morte mais rápido e sem mais tempo para reviver, renovar. No máximo, consegue se arrepender. Mas, às vezes, nem isso.

    ResponderExcluir
  2. Ou então não se trata de preguiça mas simplesmente do facto da pessoa não querer estragar o que já construiu com a outra...

    ResponderExcluir