terça-feira, 11 de agosto de 2015


(Gratidão ao amor de um gato)
Cosmo,
Na sua cama 
quem dorme agora
é o vazio.
Pude ouvi-lo brincando
em meio a um delírio febril.
O sofrimento é um escândalo.
Arrumei seu quarto
sete dias na semana
Mas você só habita minha lembrança.
A flor seca é simbólica
Mas depois dessa súplica
Nascerá uma árvore
Na sua sepultura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário