terça-feira, 30 de setembro de 2014

Só creio no desejo

á Gilka Machado e Carlos Drummond Andrade
Quero teu corpo como
quem deseja um milagre.
Quero que tua boca 
me devore.
Que nossas pernas se confundam 
e nossas mãos não se larguem
Que nossos quadris se fundam
e (n)o teu sexo não me cale.
Quero o prazer profano
de misturar nossos suor
até o dia amanhecer.
A epifania de ser só desejo
sem ter o que esconder.

Nenhum comentário:

Postar um comentário