quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Ligação gratuita

Pudera, entre o barulho dos pingos da chuva assolando a janela, encontrar-me despida, com os poros abertos, despertos pela chegada de teu corpo junto ao meu. E calar-me só para ouvir detalhadamente seus suspiros.
Pudera eu, continuar a escrever, qualquer coisa, para mostrar ou não para você. A poesia que verte de meu coração, se transforma em versos cheios de saudade, em uma tela fria, vazia, e superficial que certamente não terá o efeito que eu queria em meio a essa noite fria.
Desperte de seu sono, não é o desperta-dor, sou eu ligando, jorrando amor.
- Alô?
- "Ligação gratuita...".
- ... - suspiros contínuos antes de adormecer com saudade, com nome, sobrenome, e sem muitas explicações.

Um comentário: