terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

O sopro do medo


I.
Ventos do medo e da maldade
Despetalam
Despedaçam
Despistam as coisas boas
Despem a bondade.

II.
Uma flor nos ventos do mundo
O que sopra é
 Fugaz
Doloroso
Despetala
Desfalece
Desfaz
As dores do mundo despiu a flor.

III.
Há sensibilidade no miolo da flor
Destruíram as barreiras de seu coração
Mostraram-na como é cru viver com os pés no chão.

(Estou com medo do futuro hoje, mas só por hoje. Não há permissão para o medo monstruoso ficar por muito tempo.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário