segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Voar


Conhecemos a vida aos poucos. É difícil sair da nossa árvore. Descer do ninho. Não se bate asas no primeiro momento. Somos movidos pela curiosidade... Em primeiro lugar a respeito do mundo, segundo as pessoas, terceiro a si próprio. Uma pequena amnésia de que somos uma grande fusão do mundo e das pessoas a nossa volta. Papai planta uma ideia aqui... Mamãe ensina algo ali... 
Quando inicia-se o ritual de descobrir as asas, aprender a usa-las e finalmente voar, há muitas quedas. Tentei explicar o fenômeno de diversos modos e só cheguei a uma palavra: amadurecer. 
Passarinho adolescente não sabe se bate asas ou fica no galho seguro. Sem saber que bater asas é o mais seguro. Depois que você conhece os perigos do mundo, o significado do que se temia perde o sentido. Descobrir o céu também semeia curiosidades, dentre estas a de como é ter o próprio ninho. 
Uma vez me disseram que há um passarinho que só tem um par a vida toda. Não sei se isso é verdade, mas bem sei que sinto que sou como um desses, que amará seu parceiro até o último canto - no caso suspiro. Talvez hoje, observando várias espécies de ninhos de passarinhos eu tenha notado que quero ter o meu. Parceiro para dividir eu já tenho. Mesmo que daqui um ano e meio ele vá se ausentar. Busco gravetos e faço nosso lar, para quando ele voltar já ter onde morar - além do meu coração. 

Se um dia eu quis ter um texto meu publicado em um jornal ou revista, hoje só quero que toque o coração de alguém. Com o tempo você descobre quais são as coisas realmente importantes na vida.

5 comentários:

  1. Chegou na melhor hora! Tem dois filhotes de passarinho no meu quintal tentando e tentando bater as asinhas e voar. Estão caindo vezes e vezes seguidas, mas mamãe diz que "amanhã é um novo dia" e que finalmente eles irão conseguir voar.
    'Tô aqui tentando até chegar o meu "amanhã". Imagina, conseguir finalmente voar e conseguir montar meu ninho de gravetos? Depois ainda me perguntam porque queria ser um passarinho...

    ResponderExcluir
  2. Um dos textos mais bonitos que já li. E olha que passo a procura de textos o dia inteiro que me encante como este. Você escreve bem, parabéns. Usou uma metáfora perfeita. E ah, quero fazer de suas palavras, as minhas. Porque também penso como você a respeito disso.

    ResponderExcluir
  3. [...]Passarinho adolescente não sabe se bate asas ou fica no galho seguro[...]
    é estou bem nessa fase mesmo...

    ResponderExcluir
  4. Demora, mas uma hora nos deparamos com as coisas que realmente importam bem na nossa frente.
    Gostei.

    ResponderExcluir