sexta-feira, 13 de maio de 2011

Estrada para o paraíso

Pessoas mudam pessoas. Contradigo-me ao escrever tal frase. Mas isso não é nada perto do que todos os dias tem sido.
Alice caminhava pelo jardim e caiu no caminho para o país das Maravilhas. Lá ela encontrou uma infinidade de coisas, e é assim que eu me sinto.
Se você caminha pela vida procurando algo, certamente encontra. Mas o tesouro é sempre imprevisível.

Criar laços é semelhante a ir para o país das maravilhas. Só que esse país ganha outro nome: país do Coração.
No país do Coração há também uma "rainha vermelha", que atende pelo nome de ódio. A grama forra toda a dimensão do local, e é de um verde muito vivo, que terá o seu aroma preferido (no meu caso, cítrico); ela cresce desgovernadamente, correndo o risco de tomar todo o coração. Seu nome é ilusão. Atrás de algumas árvores adormece uma raposa... Esperta como todas de sua espécie, ilusionista, dona de duas faces: uma nomeada ciúmes e outra insegurança. De vez em quando ela dá o seu show (é infelizmente inevitável) e deixa a bonita e frágil da autoestima lá no chão. Aestimare tem uma melhor amiga chamada esperança. Sempre trajando verde, dança na corda bamba de sombrinha e consegue "magicamente" aquecer toda a terra do coração.
Ainda sobra diversos morados que não mencionei as personalidades. Bons ou ruins, algumas vezes são incógnitos.

Pessoas mudam pessoas e fazem com que a gente conheça nosso "íntimo" mais profundamente.
Pessoas ajudam que a arte dos poetas fique mais bela. Poetas mudam pessoas.
No final somos obrigados a aceitar que por mais dolorosa que seja algumas presenças, precisamos das pessoas.

Nota: Eu que sempre fui tão inconstante, luto agora pela constância de te ter todos os dias ao meu lado segurando minha mão.

6 comentários:

  1. é Lana, o coração é traiçoeiro, engana, mas também acerta! Por ter essa diversidade de emoções é que ele se torna tão inconstante. Por isso estamos sempre sujeito a mudanças, por mais difíceis que possam parecer, temos de "aprender" a modificar algo que está ocorrendo erroneamente. Talvez assim, alguma coisa se encaixe em nossa vida, não é mesmo?
    Dá uma olhada no meu blog (http://only-a-matter.blogspot.com/), gostei muito do que voce escreveu.
    Te adicionei no orkut e estou te seguindo no wehearit.
    Seria muito interessante compartilharmos idéias.

    ResponderExcluir
  2. É como dizem: ninguém consegue viver sozinho, dependemos das outras pessoas. Até porque ficar apenas com nós mesmos deve ser bem enlouquecedor. Algumas pessoas mudam tanto nossas vidas que a gente nem lembra como era a vida antes delas. Renovar-se sempre faz bem, para o coração principalmente.

    ResponderExcluir
  3. Seu texto é muito bem escrito e expressa perfeitamente esse sentimento. Porque eu também sinto essas coisas. Porém, eu não costumo ver a Rainha Vermelha como ódio, no livro Alice no País das Maravilhas e Através do Espelho, sempre achei a Rainha Branca dona de uma personalidade mais odiável.

    ResponderExcluir
  4. Que texto lindo, Lana. Adorei o uso da metáfora (ou analogia?) com Alice no País das Maravilhas. No meu País do Coração, a Raposa anda me enganando muito de uns tempos pra cá.


    Eu espero que você, Alice, esteja bem.

    ResponderExcluir
  5. Pois aqui vai algumas calorosas palavras: Belo texto.

    ResponderExcluir
  6. Texto inteligente e bastante verdadeiro. Gostei muito. Parabéns pelo Blog, suas palavras são encantadoras.

    ResponderExcluir