domingo, 16 de maio de 2010

Meu caro amigo

Sete dias da semana, 30 dias por mês e a gente vai levando, arrastando conosco sonhos, medos, angústias... memórias. Alguns pequenos detalhes são apagados de nossa memória. Passamos por tanta coisa que temos a impressão de que não seremos capaz de armazenar tudo. E por essa razão, resolvi naquele dia, reler algumas cartas que eu havia recebido á alguns anos atrás. Deveria ter em torno de vinte cartas. De amigos, que trazem á mim a dura sensação de que realmente nada dura pra sempre. E lá no meio, uma carta dele. O que leva um relacionamento que durou tão pouco tempo deixar tantas marcas? As vezes queremos tanto um ''coisa'' que passamos por cima de alguns princípios, e aí podemos acabar quebrando a cara. Comigo não foi diferente. O bom foi o laço de amizade que construímos depois, desta vez com calma, duro em torno de dois anos. Aí nos afastamos, por força maior. Caminhos opostos. Nunca mais recebi nada dele; email, carta, telefonema, sinal de fumaça... Conheci então a palavra mágoa, não na teoria, na prática mesmo. Uma das coisas mais duras da vida é sentir-se só.
O tempo foi passando e a mágoa foi virando um detalhe, daqueles citados no inicio do texto... que a memória não armazena. A única coisa relacionada á ele que guardei, não só na memória mas em meu coração também, foi a saudade e a gratidão, por ter entrado em minha vida e ter me ensinado enumeras coisas. Inclusive á lidar com a solidão. Hoje em dia o que aconteceu com ele, aconteceu com várias outras pessoas, a dor foi bem menor. Claro, cada caso é um caso. Mas lidamos com tudo não é? A tendência é conseguir, não importa o tempo que demore.

4 comentários:

  1. Pois é verdade!
    Essa coisa de durar pouco e marcar muito, sei bem como é...
    Mas a gente passa por tudo mesmo, e deixa para trás...
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Pois é verdade!
    Essa coisa de durar pouco e marcar muito, sei bem como é...
    Mas a gente passa por tudo mesmo, e deixa para trás...
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Seu texto é muito parecido com o que aconteceu comigo há tempos atras. Adorei, você escreve muito bem! Seu blog é demais. beijos

    ResponderExcluir