sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Devaneio

O vento seco e gélido tocava minha face. Se eu não me engano, esse era o quinto dia que eu zanzava pelas ruas de São Paulo. Nunca liguei para a solidão, mas esses dias assim, tão estranhos, me lembrava o Gabriel. Eu estava quase chegando no "café", naquele mesmo que nós íamos, quando vi aqueles cabelos negros ao vento, a sua face dura, com um cigarro na mão. De fato ele não havia mudado. Fui me aproximando sem pressa. Era como se ele percebesse minha presença, me fitou de longe com aqueles olhos grandes que pareciam me engolir e em seguida acenou. Algo gritava dentro de mim, eu tentava conter minha excitação. Continuei a me aproximar, parei logo á sua frente esperando que ele dissesse algo, mas ele nada disse; apenas tocou minha face de maneira sutil, a maciez de sua pele me trazia conforto. A excitação regressou, e eu não conseguia me controlar. Minha vontade era abraça-lo e dizer lhe: Meu bem, você fez tanta falta. Mas eu não consegui, as palavras não saíam. Sentia-me absorvida pela atmosfera de felicidade presente ali. Meus olhos começaram á ficar embaçados.
Foi aí que eu ouvi uma buzina. O conforto que eu sentia sumiu, e o frio voltou, porém agora ele não habitava só minha pele, e sim todo meu interior, consumia todo o meu "ser". Procurei ele por todos os lados, mas ele não estava lá, somente a sua lembrança.
Retomei meu caminho e fui para casa. Talvez um dia ele volte, pelo menos em meus devaneios. Ninguém se vai por completo, fica sempre presente em suas lembranças, nem que seja lá no fundo, permanece intacto.

Os personagens são fictícios.

3 comentários:

  1. Olá....Quantas vezes senti vontade de chegar perto de uma pessoa e dizer:
    "Meu bem, você fez tanta falta."

    Talvez seja melhor eu ñ ter dito, talvez esta pessoa até em pensamento saiba o que quero dizer.
    Sinceramente?

    Adorei o seu blog. Uma lenidade ao escrever incrível. Uma abordagem muito bem feita que torna a leitura deliciosa!
    PARABÉNS.

    Estou seguindo o seu blog, ok?

    Se puder, por favor, faça parte da nossa comunidade - sim, esta também é sua já que escreves =)

    http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=96229629

    Incontáveis abraços.
    Feliz 2010.

    ResponderExcluir
  2. Com o passar do tempo - dependendo das "porradas " que a gente vai levando - é natural ficarmos bastante fragilizados, né?
    Afinal de contas, somos humanos, temos sentimentos, apesar que, às vezes, alguns ñ demonstram ter , mas, vida que segue...um dia td melhora. Não podemos perder a fé!!!

    Incontáveis abraços.

    ResponderExcluir
  3. É dona de um dos poucos blogs que tenho prazer de ler.

    ResponderExcluir