terça-feira, 27 de dezembro de 2011

"Um trem para as estrelas"

A estação era familiar. Haviam três trens a serem escolhidos. A hora da partida havia chegado.
O primeiro trem era luxuoso, bem aprumado, e havia alguns conhecidos lá dentro.
O segundo era todo ilustrado por dinossauros, guerrilheiros e bandeiras socialistas. Lá dentro havia três pessoas que ela admirava.
O terceiro era extremamente colorido, tinha poemas, histórias em quadrinhos e canções de amor. Seus heróis o habitavam. Drummond acenava para ela, J.K sorria e Craig Thompson fitava-a fixamente.
Sessenta minutos para ela tomar sua decisão final. Caminhou para o primeiro trem, era o mais próximo, sua mãe acenava do primeiro vagão. Quase chegou a entrar, mas recuou aos quarenta minutos.
Voltou para onde estava, observou o segundo, seus amigos e todos os guerrilheiros que lutaram para um mundo melhor não a chamavam, apenas sorriam. A menina dos olhos de céu decidiu então que não devia entrar no segundo trem. Queria mudar o mundo, mas não daquela maneira.
Sua observação se fez contínua, e aos cinquenta e cinco minutos ela rumou para o terceiro trem. Quanto mais ela andava, mais distante ele ficava, mas ela decidiu que dessa vez não iria desistir. Walt Whitman lhe desejava sorte. No primeiro vagão estava Virginia Woolf. Logo que a menina entrou tudo fez sentido. O maquinista colocou Beatles para tocar. Na playlist ainda havia The Cure, Legião Urbana e Chico Buarque. Havia encontrado seu lugar. Entre os vagões ela viu Tolkien, C.S Lewis e Schulz. Sentou-se em um canto reservado, onde podia observar a paisagem do mundo das Letras pela janela. Havia descoberto que o caminho certo estava nos trilhos do coração.

6 comentários:

  1. Sabes que sou suspeito á falar dos teus textos, Lana. Mas, este foi meio que, inspirador, encantador... ah, não tenho palavras para descrevê-lo, tu consegues se expressar muito bem com as palavras, até parece que brinca com elas, mas você é escritora, tão séria e encantadora.

    Te admiro e sempre continue assim. Beijos, Pedro.

    ResponderExcluir
  2. Você não sabe o quanto o seu texto me deixou encantada, Lana. Primeiro pelos nomes belíssimos que encontrei neles: J.K, Tolkien, C.S Lewis, Legião Urbana, Beatles. Todos eles juntos? Ah, quanto amor!
    Segundo pela autenticidade e pela beleza das suas palavras. Elas são doces, são puras, são marcantes. Você escreve bem demais! Pretendo voltar aqui mais vezes. :3

    ResponderExcluir
  3. Que lindo. A primeira vez aqui, e estou impressionada. Eu acabei de entrar nesse vagão, na faculdade de jornalismo. Estou empolgada por fazer do que mais gosta, a minha vida.

    ResponderExcluir
  4. Gosto TANTO de estar aqui. Leio o seu há tanto tempo em anonimato, dou as caras aqui e ali e continuo a me apaixonar. Suas palavras, os trilhos da vida. Me arrancam, lágrimas, sorrisos e suspiros.
    Te desejo as melhores conspiração do universo sonhadora dos olhos de céu.

    ResponderExcluir
  5. "Havia descoberto que o caminho certo estava nos trilhos do coração." Sabe aquelas frases que te marcam por dentro? Frases que você sente que seguirão contigo? Frases que aparecerão entre seus pensamentos sempre que tiverem essa possibilidade? Então, esta é uma delas. Sinto que irei carregá-la comigo "só enquanto eu respirar", como o Fernando diz numa das canções de O Teatro Mágico.

    ResponderExcluir